Archive for maio, 2009

Tintim por tintim!

sexta-feira, maio 15th, 2009

de Patrícia Mellodi

Que me perdoem os bagunceiros, mas a organização é fundamental. Lógico que uma afirmação dessa natureza vinda de uma virginiana neurótica, tem um peso maior, um peso que beira a insanidade. Assim sou eu, não sei viver no caos, fico louca, paralisada, irritadiça.

Gosto de agenda, objetos organizadores, etiquetas, meias marcadas, canetinhas coloridas, gavetas impecáveis, livros dispostos por tamanho e estilo, almofadas perfiladas, toalhas bem estendidas, lençóis esticadinhos, temperos organizados em potinhos, e por aí vai. Adoro saber onde encontrar as coisas, mesmo às cegas.

Quando dou uma geral, fico abrindo as gavetas sem motivo algum, só pra dar uma espiadinha naquela organização toda. Passeio pela casa conferindo a retidão dos quadros, as centralizações dos porta-retratos, dos jarros, tudo milimetricamente harmônico. Pra mim é como contemplar a natureza. Não tem nada que me deixe mais calma, mais tranqüila e confiante na vida que uma casa em ordem. Meus copos, minhas calcinhas, minhas canetas, minhas fotografias, meus cedês, minhas recordações, tudo bonitinho, esperando a hora da minha revista.

Às vezes me chamam de obcecada, mas eu não concordo. Eu faço a minha bagunça também, mas não me dou por satisfeita. Quando a coisa aperta, eu paro tudo pra arrumar a minha vida. É a minha vida, sim! A minha casa é a minha vida, ela precisa entrar no eixo, ficar de uma forma mais previsível, mais palpável, na linha, ao menos aqui no espelho da minha alma.

Sei que sendo assim, nasci pra viver sozinha, pra me tornar uma senhorinha toda ajeitada que espera a morte arrumando as lembranças. Mas eu não sou sozinha. A família estraga meus planos de perfeição. Marido, filhos, empregada, todos uns caóticos insensíveis. Não entendem a beleza poética de ter as coisas no seu devido lugar. Eu posso até ser torta, mas meu olhar é geométrico, estético. Posso sentir as coisas reviradas dentro de mim, mas não posso ter a mesma sensação diante dos meus olhos. É o fim da picada ter que viver num mundo tão zoneado e ter uma casa no mesmo padrão.

Não entendo como as crianças conseguem viver num quarto com toalha no chão, sapatos espalhados, armário em forma de novelo, copo com resto de nescau pra todo lado, e ficar relax! Eu às vezes evito ir ao quarto delas, só pra não ter que achar que minha educação é pífia, desordenada. Sim, porque a bagunça daquele quarto afeta minha estima maternal. Sem contar com o banheiro que compartilho com meu marido. Se eu acreditar no que vejo, meu casamento é um verdadeiro desencontro. Eu nem vou citar a cozinha, por que a minha empregada me dá a clareza total da minha falta de autoridade. Mas eu não posso e não devo entrar nessa vibe. Seria fatal.

Hoje foi um dia de faxina, quer dizer de terapia. Coloquei tudo em ordem, prateleiras, armários, caixinhas, vidrinhos, tudo, tintim por tintim. Estou no céu! A felicidade pra mim se resume a uma casa arrumada nos seus mínimos detalhes.

Meus sonhos de consumo não incluem, de forma alguma, casarões, fazendas, milhões de funcionários, pois daria muito trabalho pra mantê-los nos moldes da minha plenitude. Um quarto-e-sala arrumadinho é suficiente pra preencher minha expectativa material e minha saúde espiritual.

Hoje vou dormir em paz, na paz dos organizados. Nem quero pensar em quanto tempo isso vai durar.

MARMOTA ENTREVISTA EVANDRO MESQUITA

domingo, maio 10th, 2009

EVANDRO MESQUITA CONCEDEU ESTA ENTREVISTA AO JORNAL “A MARMOTA”, JORNAL QUE FUNDEI JUNTAMENTE COM A GALERA DA OFICINA DE HUMOR DE MÁRCIO PASCHOAL.

A MARMOTA – Evandro como o humor entrou na sua vida? No bom sentido, é claro!

EVANDRO – POR TODOS OS BURACOS. TB NO BOM SENTIDO.

A MARMOTA – reza a lenda que quem trabalha com humor é mal-humorado. Vc é daqueles que faz o estilo, “Meu amor, que mau humor”?

EVANDRO – AS VEZES ROLA UM MAU HUMOR, MEU AMOR.

A MARMOTA – Você já foi parado numa Blitz de parachoque duro?

EVANDRO – JÁ… MAS AMOLECEU NA HORA “H”.

A MARMOTA – Como vc lida com a “Egotrip”?

EVANDRO- NO ESPELHO.

A MARMOTA – Paulão ou Arlindo Orlando?

EVANDRO- OS DOIS SÃO PRIMOS.

A MARMOTA – Essa pergunta vai para o Paulão. O que diabos é rebimboca da parafuzeta?

EVANDRO- REBIMBOCA É A PARTE MACHO DA MARCHA E PARAFUZETA… O NOME MESMO JÁ DIZ.

A MARMOTA – O que mais tem feito além de filho?

EVANDRO – TENTADO FAZER MAIS FILHO.

A MARMOTA – Onde você guardou o trombone do Astrubal?

EVANDRO – NA PARAFUZETA.

A MARMOTA – Nos conte uma grande marmota(Mico, se preferir)

EVANDRO – TER VOTADO NO PT E NO LULA.

A MARMOTA – Uma dica para os iniciantes no humor.

EVANDRO – DESISTAM ou VÃO A LUTA.