Archive for maio, 2007

Dicas para o sucesso!

terça-feira, maio 29th, 2007

Amigos,
estou com problema no computador e isso me impossibilitou de escrever a crônica do dia.
Amanhã postarei em atraso, mas hoje deixo umas dicas para o sucesso. Digo sucesso num sentido mais amplo da vida!
Muitos tem preconceito com coisinhas de auto-ajuda, mas é sempre bom ouvir mais uma vez o que devemos saber de cor!
Saiba o segredo da lei da atração tão comentada:
“Tudo que vibramos forte se realiza!”

Bjss
Patricia Mellodi

20 DICAS PARA O SUCESSO!

01 – Elogie 3 pessoas por dia;
02 – Tenha um aperto de mão firme;
03 – Olhe as pessoas nos olhos;
04 – Gaste menos do que ganha;
05 – Saiba perdoar a si e aos outros;
06 – Trate os outros como gostaria de ser tratado;
07 – Faça novos amigos;
08 – Saiba guardar segredos;
09 – Não adie uma alegria;
10 – Surpreenda aqueles que você ama com presentes inesperados;
11 – Sorria;
12 – Aceite sempre uma mão estendida;
13 – Pague as contas em dia;
14 – Não reze para pedir coisas. Reze para agradecer, pedir sabedoria e coragem;
15 – Dê as pessoas uma segunda chance;
16 – Não tome nenhuma decisão quando estiver cansado(a) ou nervoso(a);
17 – Respeite todas as coisas vivas, especialmente, as indefesas;
18 – Dê o melhor de si no seu trabalho;
19 – Seja humilde, principalmente, nas vitórias;
20 – Jamais prive uma pessoa da esperança. Pode ser que ela só tenha isso.

E eu acrescento:
Cultive a compaixão indistintamente, isso ajuda muito a viver em paz!
rosasbrancas.jpg

Nem com Mal de Alzheimer!

terça-feira, maio 22nd, 2007

memoria.jpg

A semana foi agitada com direito a prêmios, decepções e carinhos. Sentimentos variados povoaram a minha alma, de esfuziante contentamento a tristeza profunda. Foram tantas emoções e tão fortes que creio que habitou em mim o sentimento de mais de mil pessoas diferentes. É como se eu captasse no ar o tal inconsciente coletivo. Foi uma semana rica de toda natureza emocional.
E como continuação dessa intensidade, hoje estou aqui dentro de um avião a 25 mil pés dos pés no chão indo para o Piauí. Vou agora mesmo organizar minha agenda pra não deixar de ver algumas pessoas queridas e claro, que me sobre tempo pra comer caranguejo.
Sempre que volto pra casa, digo a casa do meu passado, da minha família e da minha infância, me vêm lembranças e avaliações. Meu passado volta com toda força!
Como é difícil envelhecer! Como é difícil ver as pessoas envelhecerem, morrerem… Como é difícil tomar o lugar “deles” na posição de raiz, de eixo da balança, de pais dos nossos filhos e não mais filhos de nossos pais.
De todas as mulheres maravilhosas da minha familia, uma sempre me foi espelho, a minha tia Enedina de Jesus.
Aos 13 anos ela já trabalhava na saúde pública do Piauí orientando inclusive prostitutas quanto às doenças venéreas, sem mesmo saber direito o formato de um pênis, sem ter a mínima noção de um ato sexual, com exceção das cenas cotidianas que assistia entre o galo e a galinha no fundo do seu quintal. Aos 17 anos ganhou uma bolsa de estudos pra estudar enfermagem no Rio de Janeiro e mesmo com todos os temores de meu avô, ela foi. E do Rio ela ajudou no sustento dos seus 11 irmãos mais novos. Tinha 3 empregos que iam de 6 da manhã as 6 da manhã do outro dia, do Centro do Rio ao Curicica. Imaginem essa distância atravessada quase que diariamente por uma menina de somente 20 anos, há 50 e tantos anos atrás!
Casou-se aos 35 anos após ajudar a formar vários irmãos e não teve filhos da barriga, só do coração. Nunca em sua vida deixou de ser essa mãe arvore frondosa que dava sombra a todos os irmãos, sobrinhos, vizinhos, ou desconhecidos que batessem à sua porta. E o mais bonito disso tudo é que nunca se ouviu falar que ela tivesse alegado ou se gabado dos seus gestos caridosos e amigos.
O motivo maior dessa minha viagem é a vontade de vê-la, de tocá-la. Muito do que sou e do que penso devo a ela. Meu coração tem uma inclinação incrível para o bem, pro perdão e pro amor graças às lições que recebi dessa pessoa. Não pelas palavras, mas pelos exemplos diários, não pela religiosidade desenvolvida através do catolicismo, mas pela noção de amor ao próximo que era inerente a sua alma, não pela possibilidade material que ela tinha de ajudar, mas pelo desapego e clareza dos verdadeiros valores imperecíveis, não por ela ter vencido na cidade grande, mas por ter se realizado na sua verdadeira vocação, a de cuidar das pessoas.
Aos poucos a vida dela foi se “desconstruindo” (não sei se essa é a melhor palavra!). Voltou pro Piauí, cuidou da mãe, minha avó, até morrer, cuidou do irmão, meu pai até ele morrer, de nós três, eu e meus dois irmãos e cuida até hoje através de planos de saúde, ajudas financeiras e outros, perdeu o marido que tanto amava, trabalhou como voluntária com seus conhecimentos de enfermagem numa casa de recuperação de portadores de HIV, doou suas jóias e objetos de valor, passou a se vestir simplesmente sem nenhuma vaidade e outras coisas. E garanto que isso não é nem 1% do que eu vi com meus próprios olhos. Ela foi se entregando a Deus de forma humilde, plena e progressiva.
Sofreu, chorou muito e calada por assistir coisas que nunca imaginou ver nesse mundo dentro e fora da sua família, sendo muito querida mas sempre julgada por todos como pessoa fraca e sem pulso por somente cometer o pecado de amar demais. “-O problema da Enedina é que ela é boa demais!”
Um dia ela se viu com mal de mal de Alzheimer! E comentou: – Que doença horrível é essa que eu tenho, eu estou esquecendo de tudo!” Uma outra tia minha disse:- Você vai esquecer das coisas boas, mas das ruins tambem! E ela respondeu:- Eu não tive nada de ruim na minha vida, não tenho motivos pra me queixar, sempre fui muito feliz! Isso é a cara dela!
Dizem que esse mal é um mecanismo involuntário de ir aos poucos se desligando da terra, dos problemas, das coisas e das dores que não se suporta mais. Tem histórias que são até engraçadas com pessoas de sofrem do mal. O trágico é quase sempre risível! Essa minha tia já está num estagio bem avançado e não consegue nem falar, mas num certo período quando iam dar remédio pra ela, ela mordia todo mundo! Conheço um senhor que tem alzheimer que toda vez que vai almoçar, pergunta pra esposa: – Fulana eu gosto disso? E ela responde:- Gosta! E ele come tudo, mas na verdade muitas vezes come as comidas que detestava! Pra você vê como gosto é psicológico!
Que mal “moderno” é esse? Que doença é essa que isola do mundo as pessoas? Por quê minha tia uma mulher ativa e a frente do seu tempo não lembra de nada e não conhece mais ninguém? Isso me lembra a cegueira do livro do Saramago.
Graças a Deus eu tenho memória, eu lembro dela e preciso vê-la.
A última vez que falei com ela pelo telefone, já bastante disfluente e esquecida me disse: – Minha filha quando é que você vem aqui pelo seu caminho? Como vai o seu caminho? Ela queria dizer carreira! Achei tão lindo que nunca mais disse essa palavra, passei a dizer CAMINHO! É mesmo um caminho e longo!
Às vezes é preciso renovar os votos com o futuro através dos laços com o passado. No passado está a identificação e o conserto dos nossos defeitos de fábrica. E é por causa dessa bendita memória, que lembro e lembro de tudo nesse momento, aqui nesse avião.
O avião está cheio e esse sotaque que escuto ao meu redor é quase como um carinho físico, como um abraço. Uma sensação de família, de retorno, de casa! Só quem é meio retirante pode saber o que eu sinto agora.
Eu que saí do Piauí que nem a Carlota Joaquina quando saiu do Brasil, batendo os tamancos pra não levar nem a areia, hoje volto e espero retornar para o Rio com a mala cheia de castanha de caju, doces de limão, uns 5kg de carne de sol, uns 5kg de carne de caranguejo, uma cachaça mangueira, umas garrafas de cajuína, a alma lavada e repleta de carinho da minha familia e dos meus conterrâneos e um beijo, talvez o último na minha vida que ganhei da tia Enedina e que nem com mal de alzheimer eu hei de esquecer.
– Atenção tripulação preparar para o pouso.

anjo4.jpg

Tête-à-Tête!

terça-feira, maio 15th, 2007

medico.jpg

Sempre me senti duas pessoas, uma séria, intelectual, centrada, tímida, (pasmem!), religiosa e sábia, a outra desbocada, farrista, boêmia, falastrona, louca, irresponsável, namoradeira, quase um menino ruim! Sempre vivi o conflito dessas mulheres tão diferentes que moram dentro de mim. Às vezes uma se opõe a outra. A séria ri, mas acha tudo que a outra faz over e sem classe. A desbocada admira a séria, mas acha ela antiquada, careta e fingida! Uma é pra dentro e a outra é pra fora, mas as duas sou eu.
Sempre tive dificuldade de encontrar um companheiro, pois a grande maioria das pessoas apesar de ter vários personagens dentro da sua alma, prefere assumir somente um. Ou é sério, ou é louco, ou é sóbrio ou é bêbado, ou é palhaço ou mal humorado!
Esse misto inteligente de a noite fazer loucuras e pela manhã cuidar da sua família com a maior seriedade é raro demais. Ou é integro e responsável ou é canalha e vagabundo!
É dicotômico, mas foi dessa forma que as coisas se mostraram pra mim durante anos de solteirice.
Cheguei a pensar que estava marcada pra ser gay! Pois qual homem iria suportar essa louca mistura? Só as mulheres suportam tanto! Só as mulheres flexibilizam dessa maneira! As mulheres e os Gays!
Queria pra mim alguém que conseguisse esse misto alegre e centrado de viver, mas que fosse homem! Sou fã dessa coisa de côncavo e convexo! Ah! Roberto Carlos você é tão genial, mas nessa da tua biografia tu vacilou feiol!
Minhas avaliações da vida sempre foram profundas, mas ao mesmo tempo eu expunha de forma vulgar e engraçada nas mesas de bar. Sempre ofereci minha intimidade de bandeja sem o menor pudor, sem metáforas ou citações quando me era necessário conquistar o sorriso das pessoas. Esse foi o jogo de sedução que aprendi pra sobreviver, contar uma histórinha a la Decameron baseado em fatos verídicos pra arrancar risos e amores.
Muitos amigos mais recatados e cultos me criticavam severamente sobre essa forma vulgar de seduzir. “- Pára, você não vê que isso te diminui, te faz parecer o que você não é?”
Não sou o quê? Sou isso também! Na intimidade sou calada e séria, profunda, gosto de organização e retidão, no social pratico sexo verbal sem pudores, mas não passo de toalha do banheiro pra quarto, não troco de roupa na frente de ninguém!
Ser gaiata(metida a engraçadinha) no começo era uma forma de sedução, mas foi se incorporando ao meu jeito real de ser.
Eu li a biografia do Romance de Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir e apesar de achar uma grande baboseira hipócrita aquela relação aberta que os ignorantes admiram, como forma perfeita e moderna de casamento, uma única coisa de fato me tocou. Um dia Jean falou pra Simone o seguinte:”- Meu castor, escreva sobre você. Você é muito mais interessante que esses personagens que você cria.”
Como eu me identifiquei! Essa maneira de ser na verdade era e é o meu grande trunfo com a alma do outro. Descobri que através das minhas próprias experiências e da forma escancarada com que assumo minhas vivências, chego no intimo das pessoas ou por meio da música ou por meio da conversa.
Eu e vocês Tête-a-Tête!
Colecionei um monte de pequenos trechos de e-mails que recebi depois de uma entrevista.
Essa é a prova cabal de que a falta de vergonha na cara é o caminho da minha realização humana e artística.

Deliciem-se!

Ps. Só estou em dúvida se continuo fazendo música ou abro um consultório: A tenda da Maga Mellodi!

1- Tenho um filho de 19 anos que está se iniciando na carreira de ator. Embora já tenha atuado em algumas peças de produção independente,ele ainda está fazendo um curso de profissionalização numa escola que pertence a Ligia Cortez (filha do inesquecível Raul) e sei o quanto é difícil a carreira artística.

2- Olá Patricia, Primeiramente gostaria de parabeniza-la pelo seu trabalho. Quem sabe um dia terei vc em meus shows de mágica ou vice-versa. Parabens mais uma vez..Vc é uma gata!beijos Mágico Thomy

3- Olá, aqui quem escreve é o jornalista e professor universitário (agora Empreendedor) Luciano Demetrius, de Curitiba/PR.
Olha, você em muito contribuiu pra mim quando falou dos aluguéis em atraso. Atualmente, por empreender em mim mesmo, passo por momentos de neurose só de pensar nas contas que se aproximam.

4-vc é muito linda!!1Tambem pedi a deus um pacote completo e ele me deu binho!!!pacote completo mesmo filha…sou louca pelo meu marido!!!Graças aos santos!!!me add no orkut!!!Bjussss

5-Senti que você fica meio sem graça de estar lá por causa do seu Marido que é quem arrumou sua entrevista, mas fique
tranquila, ele tem razão quando aposta em você…Tenha certeza, você é otima, e vai seguir sua brilhante carreira, brevemente, sem precisar do fator quem Indica…thau e força….

6- Menina AMEI seu trabalho, vc foi um achado nas minhas noites de insônia!!! vc me inspirou: VOU ME SEPARAR AMANHÃ e fazer uma faxina no coraçao!!!!! bjus e muito sucesso , pq nordestino é pra brilhar!!!!

7-Produzimos Batons personalizados para brindes de empresas inclusive para o CNA de botafogo se nos permitir faremos um batom personalizado para você distribuir nos
seus shows, Se você gostou da ideia, entre em contato, ficaremos muito
feliz!! nossa empresa é a SóBatom by Carisma.Abraços,Aleixo Filho/ Helena Hirano

8-Moro em Boston US, acabei de assistir voce no Jo, adorei suas musicas e seu jeito. Parabens, sucesso, que sua vida seja sempre iluminada.Espero encontrar seu cd nas lojas brasileiras por aqui.Ah! o 06 do meu e-mail e porque ja existia outra pessoa com paixao, mas o que voce acha do 06? Eu coloquei por estarmos em 2006,e paixao e meu sobrenome paterno.Sucesso!

9- Patricia, ontem passei por uma fase muitro critica e ruim de minha vida, sou carioca, estudante de jornalismo e cinema, e músico tambem, ontem a pessoa q eu + amo, e q morava comigo,chegou em casa e arumou todas as suas coisas e foi embora, sem nenhum motivo aparente, disse-me q eu era bom d+ pra ela e q merecia coisa melhor todas aquelas coisas `cliches`, e eu me lembrei de uma musica sua, q fala sobre motivos pra se agarra, ou coisa assim……gostaria de poder ter acesso as letras de suas musica pelo site…desde ja parabéns pelo talento, se um dia eu canatar a metade do q cantas, estarei realizado, desculpe pelo desabafo, naum sei se tera como responder ao e-mail mas mesmo assim aguardo um cotato.bjus

10- AO COMENTAR COMO FEZ A MUSICA”FAXINA GERAL” (VESTI A CARAPUÇA) ESTOU EM PROCESSO DE SEPARAÇÃO, E PARA OCUPAR MEU TEMPO ESTOU DANDO UMA PEQUENA REFORMA E PINTURA NA CASA. SABE DE UMA COISA ? POR CAUSA DISSO INICIEI HOJE MESMO A FAXINA NO CORPO, NA MENTE, ACHO QUE NO CORAÇÃO VOU TER QUE DEMOLI-LO E CONTRUIR UM NOVO. VALEU MUITO TER ASSISTIDO SUA ENTREVISTA. SE O MARIDO NÃO FICAR CIUMENTO MANDO UM GRANDE ABRAÇO E UM BEIJO.JÁ ESTOU PROCURANDO SEU DISCO.MANUEL.

11- Gostaria de saber como tenho acesso ao seu acervo os a aquelas musicas ate porque gostaria de canta-las para minha namorada ..Parabens pelo trabalho, voce manda muito !RODRIGO DE MEDEIROS GIANOTTO19 anos, SAO JOSE DO RIO PRETOmusico tambem !

12-Sou praticamente uma cópia sua na versão masculina em termos de luta, e brigo muito pela divulgação do meu CD “HABITAT”.Vamos nos falar mais, e quando vier a Sampa fazer algum show ou até mesmo a outros motivos, me avise para eu lhe conhecer pessoalmente e assistir o seu show.

13-Estou grávida de 38 semanas e, a partir da semana que vem, a Anna Luìsa pode estar entre nós a qualquer momento. Basta que ela queira. E eu gostaria de poder ouvir com ela o seu CD.Moro em Juiz de Fora/MG

14-Me identifiquei com a sua fala.Também tô na luta, sou artista das tintas, pinto de tudo, faço cenários e muito escrevo, de forma quase biográfica. As pessoas acham graça nisso, na minha mistura. Tenho dois filhos e também já fui casada com um homem das cavernas, tipo anta de andertal.Recentemente, resolvi que ia ficar pintando Budas, comecei a cpomprar Budas de carinhas felizes, eles me alegram. Meu filho exclamo perguntou.., _Mãe, você não é louca não né?!

15-eu estudo canto já a um tempinho sempre amei musica acho que p/ cada pedacinho da minha vida existe uma musica, posso te contar minha vida em cima de um repertorio musical…gostaria muito de ter a garra que vc teve, a força e a coragem… nunca cantei em barzinho so msm dando canjas.depois que te vi no Jo me senti forte e com muuuita vontade de correr atras do meu sonho … obrigada sem querer vc me deu força ….

16-Meu nome é Morena, meu cabelo é castanho e minha alma é loira. E a música da loira, acho q é “as vezes”, praticamente é um retrato meu.Sou atriz, teatrera de Porto Alegre, e tenho uma mega dificuldade de relacionamento, os homens não conseguem confiar em mim porque também sou do tipo q faz piada.Sou mãe solteira, de um menino lindo de 4 anos, e pensando nele voltei a morar com minha mãe para estudar cinema, não quero largar minha história e o que já construi, mas vc hoje trouxe mais esperança e mais felicidade na minha vida, pois estou passando por uma dificuldade, até estou me rendendo e resolvi procurar um emprego de civil.Mas vou te dizer, subir no palco é oq lava minha alma…

17-Parabéns!!! Sim, me identifiquei muuuito com a sua canção “Pacote Completo”, é que estou noiva e meu “futuro marido” já vem com filha e ex mulher, Kkkkkk… Parabéns e boa sorte… Você realmente merece 🙂

18-Nunca perca sua maravilhosa essência.
Mulher, um montão de beijos pra voce e para Clarinha.Obs. Vc sabia que Toddynho roubado de crianças deixa o cara brocha?

19- Oi Patrícia!!!!
Sou loira e dizem que sou bonita…detalhe…sózinha…kkk ..Obrigada pela dica de Sto.Antonio kkk.. SUCESSO sempre para vc…Beijos…Regina

20- Patricia, que entrevista bacana menina! Dei muitas risadas, fiquei encantada com seu som e principalmente com sua simpatia. Parabéns!!!Adorei aquela frase que seu ex disse a vc: “Avalie, se a gente se apega até a um cachorro!”. rs… Essa foi boa pq tem uma pessoa que anda me enxendo o saco e tô doida pra falar isso a ela.

21- Naum concordo que eles não casam com as loiras!!! Uma loira dessa, esses cariocas tão muito molé!! ou você que é danada demais?? Hehehe

ANJO TORTO

terça-feira, maio 8th, 2007

torquato-3-por-4.jpgNasci no Rio de Janeiro de família piauiense. Torquato, embora nascido no Piauí, sempre foi muito confundido como baiano, mas, na verdade ele dizia que queria mesmo era ser carioca.
Éh Torquato eu sou do Rio de Janeiro e do Piauí igual a você!
No ano de 1972 você ligou o gás e disse “Pra mim chega” e eu nasci chorando e não sabia o porquê.
Fui muito pequena para o Piauí e lá tive minhas primeiras influências musicais e artísticas. A poesia e a música de Torquato sempre foram reverenciadas por todos ao meu redor.
Confesso que demorei a entender sua importância. Ficava muito irritada por perceber que todos viviam do passado, falando no que ele fez, no que ele disse. E eu pensava:
-“Poxa deixa o novo chegar”! Vocês só falam do Torquato!
Ironia do destino Minha primeira música gravada em disco foi
“A Rua” de Gil e Torquato, mas eu não entendia nada.
“Eu brasileira confesso minha culpa meu degredo”…
Ignorante, e prepotente como todo jovem, segui como se tivesse o rei na barriga. Na verdade na barriga eu tinha era fome, fome de dar certo, fome de vencer, fome de ser uma vitoriosa vinda do Piauí, sem bandeiras nem ídolos.
Sempre percebi que no âmago do Piauí morava um projeto interrompido, um sucesso não gozado, alguma coisa por fazer, mas sem a alta estima necessária pra realizar.
Alguma coisa aconteceu com nossa alma quando Torquato nos deixou.
Claro, que isso é uma teoria minha! Pelo amor de Deus!
Pode ser que esse espírito depressivo esteja presente a muito mais tempo na nossa genética.
Torquato Neto transpirou o movimento tropicalista, o cinema novo, foi artista e jornalista na época acalorada, violenta e frutífera dos anos de ditadura. Ele estava no olho do Furação! Ele era o furacão.Torquato tão talentoso, tão bem relacionado, tão mais preparado e dotado de talentos que nós…
Quem de nós irá se arriscar a “sair” do Piauí , a se lançar no mundo? Eu não sei!
Minha história, minha família, a convivência tão próxima da loucura(um dia eu conto pra vocês!), esses 13 anos de Rio de Janeiro sem conseguir sucumbir às dificuldades da vida artística, as coisas do Torquato foram tomando conta de mim mesmo sem querer.
A maturidade vem acompanhada de profundidade, talvez tenha sido por isso a chegada do Torquato em minha vida.
Temos amigos, familiares e uma alma panfletária, ferina e romântica em comum.
Fui descobrindo o quão genial ele era, o quanto fora do tempo sua poesia orbitava e como seu trabalho é atual e merece ser mostrado, relembrado. E pessoalmente mas que tudo, eu precisava reconstruir o passado junto dele pra ser parte do futuro.
Decidi me aprofundar em sua obra, estudar sua vida, ouvir suas músicas, ler suas poesias, sua história.
Foi inevitável querer cantar suas músicas, fazer um projeto especial Sobre o Torquato.
Eu sinto que preciso da Obra do Torquato pra reconhecer, reconstruir e florescer meu artista de sangue piauiense e assim dar continuidade nesse processo, dar um gás na minha estima e na estima do meu estado e principalmente tirar proveito dessa obra tão rica e tão maravilhosa que só vai enriquecer história da minha carreira e contribuir pra musica brasileira.
Posso ser sua intérprete, Torquato?

pat_torquato.jpg

ps. Querendo saber mais sobre Torquato Neto, visite o site abaixo que é maravilhoso!
www.torquatoneto.com.br

O poder do Invisível

terça-feira, maio 1st, 2007

blog06.jpg

Imaginação? Medo do Nada? Invenção? Franqueza intelectual? Ignorância?
A todo instante nos sentimos na mão desse invisível poder.
Marionetes na roda giratória da existência.
Livre arbítrio?
Questiono o poder de escolha da gente!
Parece que tudo corre como tem que correr e nosso livre arbítrio
só nos faz chegar mais cedo ou mais tarde,
nos faz decidirmos se vamos de avião ou de trem,
se vamos diretos ou fazemos um pit stop.
Na verdade os acontecimentos essenciais permanecem imutáveis,
como se escritos pela mão de um criativo conhecedor das causas
humanas e sobre-humanas.
O homem é realmente muito soberbo!
Sempre achando que pode manipular as coisas.
Aí vem o “destino” e pumba!
Cai feito uma bomba mudando tudo de lugar.
E os planos já feitos? E o desejo? E a escolha? Que nada!
Na oração Pai Nosso conhecida por quase todo mundo,
tem uma parte assim: “Seja feita a vossa vontade assim na
terra como no céu…”
Confesso que passei anos sem ter coragem de falar essa parte.
Qual seria a vontade “Dele”? E se não for a minha?
Rezar o Pai nosso antes de pegar um avião pra mim é impossível,
tenho medo de me entregar a essa “Vontade maior”.
E rezar a Ave Maria em situação de risco?
Ela diz assim “Rogai por nós pecadores agora e na hora da nossa morte, amém”!
Nós vamos morrer gente! Que pânico me dá em pensar nisso!
E eu não poderei escolher a forma, o tempo, nada.
Apostei mil reais com meu marido que eu morro primeiro que ele!
Estamos discutindo a forma de pagamento póstumo! RS! Humor negro, né?
Mas voltando as orações prefiro nessas horas pedir proteção ao Meu Anjo!
Com parte da família muito católica, fiz primeira comunhão e fui da Renovação Carismática, sendo também neta de protestantes, fui a encontros dominicais na igreja evangélica Batista, com a chegada da minha independência familiar e intelectual li vários livros de Chico Xavier, Dalai-lama, freqüentei centros espíritas kardecistas e outras correntes religiosas, tentei mergulhar no universo da parapsicologia, da ciência, da filosofia dando as mãos aos niilistas, aos existencialistas ateus…
Enfim, sou uma figura sincrética.
Mas mesmo quando não tive fé, tive “respeito” ao desconhecido invisível por sofrer fortemente suas ações involuntárias ao meu desejo.
Hoje sou universalista. Preferi e achei mais inteligente juntar tudo num só!
Não quero ser uma ignorante, crente e manipulada por ceitas e lideres, só não pude resistir ao irresistível.
Ultimamente tenho visto com lente de aumento as fatalidades.
Vejo coisas que até “Deus” duvida! Mudanças radicais de vida.
Aí tem esse papo da roda das encarnações, da lei da causa e efeito…
Isso tudo é um grande mistério apavorante.
Submetidos ao imponderável estamos assim,
vivendo o aquecimento global, apocalípticos e fatalistas como nunca,
buscando saídas e soluções no básico, no simples, na essência,
na natureza equilibrada.
O homem precisa de medo de perder pra mudar, pra fazer diferente.
Diante do “Poder Invisível” nos rendemos, como cordeiros imolados,
mesmo sendo ainda tão prepotentes, intolerantes, arrogantes e acima de tudo ignorantes.
Embora não creia que seja necessário religiões, embora acredite na essência divina do homem e na sua capacidade intelectual de apreensão das coisas, embora considere a filosofia e a ciência como parte fundamental do nosso auto-conhecimento, embora saiba que parte das coisas depende das minhas ações, creio no vento que é a prova irrefutável do invisível e do seu poder.

blog05.jpg